terça-feira, maio 22, 2007

Pontinhos sem "is"

They constantly try to escape
from the darkness outside and within
By dreaming of systems so perfect
that no one will need to be good.

T.S. Eliot. The Rock (1934)

Para que conste, não é de hoje e, para variar, o MCTES não tem mesmo nada que ver com isso. Desta vez, a responsabilidade vai toda para a minha ileteracia documental - tenho andado com o meu raciocínio engadanhado, às voltas do facto de não perceber a proposta de Lei sobre o Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior, RJIES Parte II, versão cinco.
É assim, meus caros, raros e bravos leitores: para começo de conversa, não consigo sair de um beco, em que me meti, e que tem duas esquinas:
1) O que será Investigação "Orientada"?
Não consegui descobrir nada que preste, e já estou há um par grande de dias em pesquisa; por causa disso, fui pedir ajuda ao "blog" Campus.
Não pode ser "orientação" por estrelas ou fases da Lua, pois não?
2) Como funciona, FINANCEIRAMENTE, uma Fundação Privada de Direito Público?
Sei que há financiamento privado, e financiamento público; mas o que eu preciso mesmo de saber é se a Componente Privada, pode ser constituída também por pagamentos extra, com dinheiros públicos, de trabalhos, pareceres e relatórios estratégicamente encomendados, contratos e colavborações, e/ou financiamentos de Projectos de Investigação, que exijam componente pública. Neste caso, qual é a comparticipação pública TOTAL, em termos de máximo Percentual? Isto é, incluindo Orçamento de Estado para docência, e todas as outras, e quaisquer formas de contribuições, que estejam relacionadas com o Orçamento Geral de Estado?
Estão a ver porque é que eu estou baralhada? Podem os leitores ajudar? Se puderem digam alguma coisinha, por mail, ou de outra forma qualquer. Posso contar? Sei que sim!
Estou também à espera que alguém mais corajoso e arrojado se posicione sobre este tal RJIES2.v5.
Penso que vou ter sorte. No blog "Por Educar", através do post de hoje, intitulado "Doutor, tome do seu próprio remédio" de Virgílio Machado, parece que se vai dar o início a uma reflexão sobre este tema.
Ufa! Ainda bem! É que o documento RJIES2.v5 (ver aqui: http://www.esnips.com/web/Sortido, em RJIES2), quanto a mim, não precisa de pontos nos "is" porque não tem "is". A meu ver, precisaria de "...mas,...ses e "e"s..." em cada um dos seus pontos.

Etiquetas: ,

3 Comentários:

Blogger MJMatos disse...

Portugal é um país de moinhos, RN, muitos moinhos, 8-) (não se esqueça que estou numa fase "quixotesca")

terça mai 22, 09:40:00 da tarde 2007  
Blogger Regina Nabais disse...

Olá MJMATOS. Constato que sim, que o MJMATOS e muitos de nós andamos, para aqui, no sopé de uma vaga "quixotesca", quero dizer gigantesca - eu também só penso em moinhos - mas os meus são de MARTELOS! :)

terça mai 22, 10:02:00 da tarde 2007  
Blogger Virgílio A. P. Machado disse...

Juntam-se uns machados, umas forquilhas e foices, faz-se uma bandeira e reviralhamos o Reviralho ;-)

sábado mai 26, 01:03:00 da manhã 2007  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial