domingo, maio 13, 2007

Obrigada a plantão permanente, e com péssimo humor

Se há coisa que me ponha fora de mim e de todos os meus eventualíssimos principios educativos, éticos, morais, de convivência, e até de conveniência social etc., etc..... é precisamente o (péssimo) tratamento, useiro e vezeiro, dirigido aos cidadãos comuns, pelas empresas nacionais Pseudo Privadas, quando (não) prestam (e se cobram principescamente) por serviços ditos públicos, no caso em pauta, de telecomunicações. Tratam-nos como se fossemos .... bom, não digo!.
Só ontem (4 dias depois da comunicação da avaria na minha linha telefónica fixa) alguém da Equipa Técnica de Reparações da Portugal Telecom se dignou a ligar para minha casa, no que subentendi (não fui eu que atendi o telefone, felizmente, para mim e para ele...) mais ou menos para expressar o seu protesto-reclamação-lamúria por ele "ter tido que perder mais de duas horas a encontrar a avaria - dois fios que tinham sido trocados, não sabia dizer por quem, mas sabia dizer onde - na "Estação Telefónica de Campos de Pereira", seja lá o que isso for e onde quer que isso seja, como se fossemos nós os avariadores-trocadores de fiações, que laboram em território murado-fechado-trancado da PT (com esta, só comunicamos por robots ou, quanto muito, sucedâneos destes). Estou a ver que vou ter de acrescentar também este ponto de inspecção-manutenção (não sem antes lhe tirar os vagos azimutes) à minha já vastíssima lista de pontos de manutenção preventiva dos apetrechos de comunicação da Portugal Telecom, cuja intervenção, por puro azar da minha localização geográfica e consequente falta de opção, sou condicionada a "aceitar".
Irrita-me sentir-me, por causa dessa gente, tal como a coruja da figura anterior, em permanente estado de atenção, prevenção e alerta e, sem eu perceber porquê, as pessoas todas a teimarem em ver-me assim:
A despropósito propositado, a partir da madrugada, de ontem para hoje, foi a vez da empresa privada ONI dedicar-se a aperfeiçoar o meu já aflitivo e grave quadro pessoal de "para lá da esquizofrenia" - confinaram-me apenas a um acesso muito ronceiro e esporádico - shot in the dark - à INTERNET. Vamos lá a ver se consigo sequer publicar este post - só por milagre de 13 de Maio!
.
Os meus caros, raros e bravos leitores acham que devo emigrar?
Estão a dizer-me que sim, e só se eu for já, já para a Wellington (NZ)?
CONCORDO!
Desculpem-me o desabafo, mas a verdade é que devo muito à PT, ter-me esquecido um pouco do MCTES; Será a isto que, em psicologia-psiquiatria, se chama de processo de transferência?
De qualquer forma, voltarei ao tema do blog assim que deixar de estar virtualmente açaimada.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial