quinta-feira, novembro 23, 2006

Eu Não Quero Acreditar! Mas, até precisaria de um tradutor de "MCTÊS"

Apesar de continuar às voltas de consequências de corrosão, que me tiram muito tempo, sono e sossego, não resisto a registar o que me vem acontecendo nestes últimos dias mais precisamnente no dia 21 e hoje, há uns quinze minutos.
Pela segunda vez, nesta semana, fui acometida de uma séria crise de incertezas - vagueando pela blogosfera, apesar da infinidade de cibernautas que aí circula, acabamos sempre por saber bem em quem confiar.
Mas, sinceramente, Eu Não Queria Acreditar, no significado do que estava descrito numa página da blogosfera, a ser verdade, para mim só podia comprovar a existência de pessoas que se julgam na estratosfera da elite pensante e racionalizante da nação, mas detentoras de uma sensibilidade intelectual e humana de fazer o Zircónio ficar com o ego reduzido a pó de giz, por isso é que duvidei. Fui confirmar...
Fiquei a saber do lançamento do Relatório da ENQA:"Quality Assurance of Higher Education in Portugal An Assessment of the Existing System and Recommendations for a Future System." Tudo estaria muito bem, porque este relatório decorreu de uma metodologia explicada pelo MCTES, com muita antecipação e definido por Despacho Específico - Despacho 484/2006, sobre a avaliação internacional do sistema de Ensino Superior, de 21 de Novembro de 2005 - e, na altura, fazia algum sentido, mas tanto quanto percebo há, pelo meio, uma entidade nacional de avaliação do ensino superior (CNAVES) que integra pessoas respeitabilíssimas, e que melhor ou pior, fez o que pôde e sabia, mas cuja actividade parece ser agora posta em causa.
Claro que, o que é criticado pela ENQA não são as pessoas, mas sim os resultados dos seus esforços; mas havendo pessoas, pelo meio, mandam as regras básicas da ética que fossem dos primeiros a saber de todo o conteúdo do relatório fosse bom ou menos bom, e não a serem informados simultânea ou, até posteriormente, à comunicação social.
Este nosso MCTES faz e diz coisas, que torna muito difícil acreditar-se que ele é também um Engenheiro do IST - o respeito institucional, a ética, os requisitos básicos de educação e as qualidades pessoais de relações humanas passam-lhe sempre ao largo; e pensar que ainda há pessoas que acreditam que ele é um "animal político inteligentíssimo "...bom, quer dizer...., eu não diria assim taaaanto!
Voltando, ainda, ao relatório da ENQA, li-o!
Tropecei logo na página 13, ponto 2.1 (a acentuação do texto é minha) - "MCTES drafted the terms of reference (see Appendix 1) and negotiated the contract with ENQA"- fui tentar perceber "os termos da encomenda do trabalho" no tal anexo, e fiquei, exactamente, como eles, não se percebia nadinha do que é que o Senhor queria efectivamente encomendar, o que justifica a frase seguinte do relatório: "In addition, the chair of the panel and the review secretary held a meeting with MCTES before commencing the review process to clarify outstanding issues and questions", para arrematarem de seguida: "MCTES was not involved in the review process as such, but provided logistical support in relation to the site visit."
Pelo menos, livram-lhe a cara, como ministro... comecei logo a pensar que, afinal, até acabou por se tornar numa empreitada descomunal, e até baratinha...

Andava eu ainda a interiorizar o texto do dito Relatório da ENQA, e a acompanhar à distância o que se passava neste capítulo, e eis senão quando, li também na blogosfera que o MCTES teria dito no jornal Público: "Não temo nem isso, nem que o aquecimento global submirja todas as instituições do ensino superior com a subida do nível das águas do mar".
Mais uma vez não acreditei, e fui confirmar, e... no público de hoje, isso ???!!!!! está mesmo por escrito.
Se calhar falha-me a interpretação correcta/tradução oculta dessas palavras tão pacificadoras.....
É por isso senhor Ministro, que "até debaixo de água" também lhe digo: enfim, estamos perante um MCTES consistente, combativo e inabalável nos seus peculiares propósitos, credos e valores, e que irá conduzir todo o sistema de educação terciária, ciência e tecnologia portuguesa quiçá o próprio país, a avançar com os pés bem firmes no chão... e,... ah!...e com as mãos também!




0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial