domingo, fevereiro 18, 2007

Gestão de coincidências (Trademark)

1ª coincidência:
Com reduzidíssima disponibilidade pessoal, ando a acompanhar o que se tem passado na nossa educação terciária pela nossa blogosfera.
Foi assim que, por intermédio do blog "Universidade alternativa", fiquei a saber que também na opinião de outras pessoas - com muita imaginação, e também origens e vivências internacionais interessantíssimas - "a nossa educação superior está uma '''mess'''" (salganhada?).

Desconfiada, como sempre (não há meio de controlar esse meu defeito), andei em "track-back" na busca das fontes originais e, via página "Reformar a Educação Superior", JVC-apontamentos, cheguei ao endereço do actual blog da Beverly Trayner e, especificamente, ao seu "post" - "Time to move on".
Confesso-lhes que me arrepiei.
Tenho testemunhado muitas das iniciativas da Beverly, desde há pouco mais de um ano e, na minha humilde opinião, é uma pessoa com criatividade, iniciativa e notável capacidade de mobilização. A sua decisão de não continuar a incluir a instituição onde trabalhava, nos seus projectos pessoais de vida, é uma perda considerável, para o ensino superior politécnico. Pelo seu texto, depreendo que, globalmente, se fartou de nos aturar as trapalhadas. Compreendo a sua decisão, mas aceito-a mal, e mantenho a esperança, que um dia - quando nós, por aqui, resolvermos entrar nos eixos - ela possa reconsiderar e, apesar do nosso reduzido merecimento, ela regresse, mas com hipoteses institucionais de nos ajudar a todos. Bem que precisamos!
.
2ª coincidência
Fiquei feliz que mais um reitor das nossas universidades, desta feita o da UMinho, resolveu no início deste Fevereiro, juntar a sua voz à do da Universidade de Lisboa.
Mais uma vez se regista que o nosso único problema no ensino superior é, exclusivamente e só, a falta de dinheiro vivo, porque lá mui imaginosas iniciativas*, aliás como todos os outros, também tem de sobra.
Se conseguirmos que mais alguns reitores adiram, publicamente, a esta notável e "desoriginal" ladaínha, poderemos reparti-los em duas vozes (a alta e a baixa) e podem formar um bom grupo de cantares alentejanos (que verdadeiramente adoro); teremos que afastar destes processos de reitorados todo o mulheredo (só porque não se adequa a coros masculinos - "os cantares alentejanos típicos são melodias a duas vozes, sem acompanhamento de instrumentos e cantadas unicamente por homens"). Desta forma, podem lamentar-se todos afinadinhos, ao despique, em uníssono e em coro.
.
3ª coincidência
Com o firme propósito de cooperar pró-activa e integradamente com todas as políticas de educação terciária em Portugal, já há uns tempos a esta parte, ando numa de testar pessoalmente os resultados de dois sistemas de ensino-aprendizagem que vêm sendo preconizados, a nível europeu e também por cá, com alarido: Long-Life-Learning (o LLL, no meu caso, muito looo...oooong) e o ensino à distância (DL).
É assim: matriculei-me num curso de e-learning internacional sobre Propriedade Intelectual, e o resultado, é que tenho que fazer todos meus "assignments" - um deles é uma proposta de criação de um logotipo.
_______________________
Gerindo as coincidências (TM), escolhi para esse meu trabalho propor a maqueta de um "signo", que ilustrasse bem o que se passa cá pela terra em matéria de ensino superior, ciência e tecnologia (DOP) - e, muitos esforços e um belo palmo de língua de fora depois - em síntese, obtive aproximadamente a imagem deste "post".
Ando agora em recolha de opiniões diversas sobre os meus resultados de aprendizagem, antes de entregar o trabalho - os meus caros e raros leitores, acham que os meus avaliadores internacionais (WIPO) me darão uma boa nota?
_____________________________
*...lembrou a criação de dois laboratórios associados, nomeadamente o Instituto de Biotecnologia e Bioengenharia e o Instituto de Nanociências, Nanomateriais e Nanotecnologias. (Tinha que ser!)

3 Comentários:

Blogger Virgílio A. P. Machado disse...

Lá temos, mais uma vez, o sapateiro ter que tocar rabecão. Quem foi essa «cabecinha pensadora» que pediu a aprendizes de «proprietários industriais» para se tornarem, de repente, profissionais de artes gráficas? Isso de logótipo é para especialistas ou para artistas natos. O que é exactamente uma «proposta de criação de um logotipo»?

Para logótipo que ilustre «bem o que se passa cá pela terra em matéria de ensino superior, ciência e tecnologia» nada melhor que «0.»

domingo fev 18, 04:08:00 da tarde 2007  
Blogger Regina Nabais disse...

Desmoralizante.
'ZERO'???? justo o 'meu logotipo'??
Ah! Percebi!!!!! Está a contrapropor um OUTRO logotipo de sua autoria?
Feito!!!!
Voto no seu!
Vou enviar a sua, agora A MINHA proposta de logotipo, para os teachers de "PI" e garantir um A+++, 'a rebentar pelas costuras e a soltar pelo ladrão' no meu
'assignment'.
Tudo sem ter que lhe pagar Royalties.

domingo fev 18, 05:30:00 da tarde 2007  
Blogger bev trayner disse...

Obrigada Regina, pelo teu post e as palavras de apoio.

O teu post (e o comentário no meu blog) estimulou me para escrever outro post como resposta. Ainda não publicou porque preciso mais tempo articular o que eu quero dizer (em Português).

um abraço
Bev

domingo fev 25, 03:55:00 da tarde 2007  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial