terça-feira, fevereiro 06, 2007

Desnovelando

Publicação de um COMENTÁRIO ao meu "post" anterior, intitulado "confusões minhas" que só me chegou por mail.
Terei o meu blog "sob escuta"?

Tenho muitos leitores que me escrevem fora da plataforma de blog, mas por política pessoal só publico o que me dizem expressamente para o fazer, o que não é nada comum, como este caso, que o autor designou por "Tromba Rija":
_______________________________

COMENTÁRIO

"Li a entrevista do professor empresário. Gosto pouco daquelas entrevistas (telefónicas?) que nem lá vão nem deixam ir.
Aparentemente, dominamos pouco o marketing destas coisas.
O que se pretendia promover com a entrevista seria o modelo de empresário ou o modelo deprofessor-empresário?
Nós temos pouca experiência (excepção feita ao Tagus Park) em trabalhar parques de ciência e tecnologia ou mesmo uma coisa mais simples que são os parques de investigação tecnológica.
O Tagus Park é uma fonte de receita do IST, com um preço por m2 que só a Banca, o I.S.Q., e meia dúzia de afortunadas empresas conseguem pagar.
Conheço bem o "campus" e entre amigos, chamamos aquilo uma Imobiliária do JetSet empresarial.
Quem conhece bem o terreno são de facto os 'gurus' do I.S.T. No Porto, existe uma coisa mais modesta (?!) chamadaTecMaia - Parque de Ciência e Tecnologia do Porto, mas desde 1998 que existem papeis e desenhos para outros lançamentos estilo MADAN - parque de ciência e tecnologia. Ver a notícia sobre o Parque Tecnológico da Universidade do Porto(http://jpn.icicom.up.pt/2006/09/07/parque_tecnologico_da_universidade_do_porto_arranca_em_janeiro.html).

Bem perto de Coimbra, nasceu o BIOCANT PARK - ParqueTecnológico de Cantanhede, and so on, and so on,...
O que acho mais caricato, nesta feira de ParquesTecnológicos é a ausência de condições de acesso, regulamentos, valores e critérios [1].
Por isso mesmo, é muito transparente o que fazem os grupos do Porto, seja do Quintanilha, seja do Sobrinho Simões: perseguem o Prémio Nobel.
Pessoalmente, tenho uma visão sobre estas coisas que se explica em três penadas: professores-empresários em parques de ciência & tecnologia se o âmbito/objectivos forem de desenvolvimento dos seus grupos de investigação. Empresários-professores, também os há, não são tão poucos como isso, desde que com objectivos de sistema produtivo, então situar-se-ão em parques industriais, plataformas logísticas, áreas fabris & etc."

«Alexandre»

_______________________________
[1] Regina - comentou o comentário:

..." Nem carteira de clientes, nem listas de todos os projectos executados, nem Relatórios de contas, nem Planos de Actividades, nem formas de gestão e de contratualização de recursos humanos, nem..., nem.....
Isto é, quem paga? o quê? a quem? e quais são as mais valias nacionais, nem que sejam intangíveis?

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial