quinta-feira, janeiro 15, 2009

Respostas claras como a água

A resposta do Diario de Notícias ao texto que lhes enviei - e que transcrevi no meu post imediatamente anterior -, merece-me o mais profundo reconhecimento, porque esclarece muitíssimo bem sobre o entendimento de alguma da nossa comunicação social, sobre as dúvidas que pode suscitar, num leitor comum, a ausência de fundamentos das matérias que publicam.
.
O que importa ao Diário de Notícias são, então, as demais características dos reclamantes/leitores discordantes das suas divagações para além do nome, mail e local - que lhes solicitem o Direito de Resposta, ou os fundamentos das afirmações que fazem no seu próprio jornal.
Para que haja legitimidade na solicitação de fundamentos ou direito de resposta, serão necessários também o BI?, Título de eleitor?, Certidão de nascimento?, Prova de Vida?, número do Telemóvel geral e também os dos familiares mais próximos? Rol de compras de mercearia dos últimos 6 meses?
.
Coitados, nem lhes ocorreu que, por mail, poderiam solicitar as informações que lhes faltava ao seu registo de criaturas impertinentes, para poderem comprovar as informações publicadas ou publicar o Direito de Resposta.
.
Vejam em baixo, a resposta, que recebi por mail, à minha solicitação ou de provas das suas versões livres sobre o emprego dos diplomados no ensino superior, ou do Direito de Resposta conforme transcrição, no post anterior.
Para falar a verdade, aquele meu pedido foi mesmo uma maldade minha, não contava nada nem com esclarecimentos impossíveis e fundamentos para aquele texto e, muito menos, que divulgassem os fundamentos para as minhas dúvidas.
O que pretendi foi mesmo confirmar o nível de fiabilidade de um dos veículos da nossa comunicação social. Esse nível de fiabilidade transparece da resposta que me enviaram por mail, por isso, OBRIGADÍSSIMA!
.
Pois é mas, futuramente, perante a séria ameaça desinformativa que -- para mim e, se calhar, para outros leitores desprevenidos, mas que não querem ou, sobretudo, que não podem dar a cara -- constitui prestar atenção a matérias publicadas por esse Jornal, irei passar rapidamente à leitura atenta das Páginas Desportivas de outro jornal qualquer - são seguramente textos mais fidedignos, ou divertidos e criativos; em alternativa, pode também ser que me passe pela cabeça, contratar a melhor firma de advogados do país, para que jornais, que sigam este exemplo do Diário de Notícias, sejam mesmo obrigados a explicar-se devidamente...
Por enquanto, já se viu, está em moda a doutrina de caveat emptor.

_________________________
Vejam aqui o texto integral da resposta do Diário de Notícias:

Exma. Senhora D. Regina Nabais,


Em nome da Direcção do jornal venho informá-la do seguinte:

Em resposta ao solicitado pedido de publicação de Direito de Resposta, venho dar conta a V. Exa. que não irei publicar o texto que nos foi remetido, uma vez que o texto respondido não contem quaisquer referencias (directas ou indirectas) a V. Exa. e porventura legitimidades do correspondente exercício do Direito de Resposta.

Ademais, o texto respondendo não obedece aos requisitos de forma previstos na lei, não se encontrando assinado, nem V. Exa. devidamente identificada.

Assim sendo, nos termos dos artigos 24º e 25º da Lei de Imprensa não irei publicar o texto solicitado.

Com os melhores Cumprimentos,


João Marcelino

__________________
Elsa Silva
Secretária de Direcção

Diário de Notícias

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial