sábado, maio 03, 2008

Flagstick: Campos de golfe nacionais sem «buracos»

Em 12 de Março de 2008, os Serviços Académicos da Universidade do Algarve publicaram a Deliberação n.º 705/2008, no Diário da República, nº 51, 2ª série, pela qual se dava a a conhecer uma iniciativa conjunta das suas Faculdade de Engenharia de Recursos Naturais, Faculdade de Economia e Escola Superior de Gestão, Hotelaria e Turismo - para criação de um ciclo de estudos conducentes ao Grau de Mestre em Gestão e Manutenção de Campos de Golfe.
De uma forma geral, pareceu-me que a ideia não teve assim um acolhimento entusiasta de diversos quadrantes da Educação Superior.
Já não consegui encontrar a referência, mas cheguei a ler que não faltaria muito para alguém defender a «criatividade».
Se bem que a Universidade possa dispensar apoios, sobretudo, pouco impactantes, o vaticínio estava absolutamente certo, pena é que seja eu a sair a terreiro, porque não sou mesmo nada convincente... mas, aqui vão algumas das múltiplas razões pelas quais estou a torcer para que a Universidade tenha toda a sorte, e que não desanime em executar este seu projecto:
.
1ª - Na verdade, a ideia em si, é das melhorzinhas que apareceram ultimamente na educação terciária, se bem que a sua realização, a meu ver, se inicie com uma pontinha de excessiva ambição ou confiança - no entanto, a este respeito, não posso deixar de dar razão a Doug Keeley - fundador e ex CEO da Integrated Communications and Entertainment - na sessão de abertura do Golf Industry Show de Orlando -- evento anual promovido, pela Golf Course Superintendents Association of America (GCSAA) -- uma associção profissional dos gestores de golf (superintendents) lá do sítio, quando disse (Fev., 2008): Leaders and winners in golf, as well as in life, focus instead on where they're going, not what could prevent them from getting there (...).
Também, de acordo com Keely, existirão apenas três tipos de lideranças: those with hierarichal power, those in control and those who simply go first - a Universidade do Algarve reuniu as 3 condições, e ainda ocupa uma situação relativa, no cenário da nossa Educação Terciária, que reclama muito mais por iniciativas corajosas do que por choradeiras copiosas, pela confidencialidade de gabinetes ou, em público aos pés da tutela, e diante da comunicação social, como é de "bom tom" como a maioria das suas pares.
.
2ª - Em 14 de Julho de 2007, foi lançado, em Faro, o ALLGARVE, lembram-se os meus caros e raros leitores disto? A designação é controversa, e não se pode dizer que o custo não o será ainda mais: durante as cerimónias, ficou-se a saber que o Turismo representará 15% do PIB nacional em 2015, o que justifica um investimento para a região de grandes empreendimentos de oferta hoteleira para os próximos dois anos, que perfaz 1,4 bilhão de euros. Com jeitinho, há toda a razão para extorquir alguns fundos do Plano Tecnológico.
.
3ª - As indústrias e serviços subsidiários do golfe - hotelaria, restauração e bebidas (vinho, refrigerantes e águas incluídos), rent-a-car, agências de viagens, marketing e publicidade, eventos, discotecas, publicações, advocacia, máquinas e equipamento de golfe, relvas, empresas de adubos e fertilizantes, fotografia, topografia, etc., etc.., - em 2006, representaram uma facturação de cerca de 1,8 mil milhões de Euros, nada menos, que 1,24% do PIB português, 14% do PIB turístico e, sobretudo, o emprego de cerca de 100,000 pessoas, com a vantagem de garantir actividade na época "baixa". Cada campo de golfe, com cerca de 100 hectares, gera pelo menos 1250 postos de trabalho. Há uma intenção de se construirem 150 campos de golfe.
.
4ª - Campos de golfe são sistemas muito complexos, integram muitos e especializados agentes, que interagem de muitas formas diferentes, em diversas dimensões, não podendo qualquer delas ser ignorada. Nestas condições, os agentes são usualmente agregados a fim de formarem os órgãos funcionalmente especializados do corpo empresarial, tais como o marketing, a contabilidade, a protecção ambiental a economia de matérias subsidiárias - água e combustíveis. Os intervenientes podem também ser agrupadas em equipas - projecto, ou em task forces horizontais.
É nesta fronteira de caos que se precisa de movimentar, com profissionalismo, um superintendente de golfe.
Na verdade, ninguém hoje estranha ou menospreza a actividade de um agrónomo que gere uma exploração agrícola, em ambiente rural; porque haveríamos de menosprezar um gestor de uma exploração do lazer em ambientes diversificados?
Seria bom, digo eu, distinguirmos os níveis de responsabilidade da actividade de um gestor de campo de golfe com a do aparador de relvados, assim como a importância, nos resultados do jogo, do actual caddy relativa à de um mochileiro de tacos ou de catador de bolas.
.
5ª - De acordo com a Golf Course Superintendents Association of America um gestor de campo de golfe, generally, earn high salaries and have great opportunities to advance in the profession. It is not unusual for GCSAA superintendents to earn a six-figure income as they advance in their careers. GCSAA superintendents will often go on to other areas of management, such as general manager of a facility.
.
6ª - A GCSAA recomenda a seguinte estrutura Curricular:
A. recommended General Education curriculum (Basic Core)
(......)
General Education studies.
• English Composition
• Speech (and/or) Oral Communications
• College Algebra (and/or) College Algebra and Trigonometry
• Social Science
• Foreign Language (Spanish is highly recommended)
• Introduction to Economics
• Introduction to Small Business Operations (and/or) Business Management
• Introduction to Marketing
• Computer Science (Computer Applications in Agronomy is highly recommended)
B. GCSAA recommended Major Courses
Plant Sciences
• Botany
• Plant Pathology
• Plant Propagation
• Principles/Introduction to Turfgrass Science
• Plant Physiology
• Irrigation Systems Management
• Integrated Plant Management
• Weed Identification
• Entomology/Nematology
• Safe Pesticide Management
• Integrated Pest Management
Agronomy
• Soil Science
• Plant Fertility and Nutrition
• Environmental Quality
• Turfgrass Management
• Physical Properties of Soil (Elective)
• Soil Conservation (Elective)
Horticulture
• Woody Plant Materials
• Herbaceous Plant Materials
• Irrigation and Drainage Systems
• Landscape Management (Elective)
• Landscape Design and Construction (Elective)
Business Management
• Golf Course Operations
• Accounting
• Business Management
• Human Resources/Personnel Management
• Financial Management
• Business Writing and Communications
• Written and Oral Communications
• Statistics (Elective)
• Computer Science (Elective)
• Introduction to Marketing (Elective)
• Internship or cooperative work experience
_____________

Só deixei aqui, uma pequena parte dos motivos pelos quais desejo à Universidade do Algarve, seus futuros alunos e docentes do mestrado em Gestão e Manutenção de Campos de Golfe, as maiores felicidades profissionais. Precisamos de campos de golfe irresistíveis, e sem buracos financeiros.
Se tudo correr de feição, nós todos ganharemos com isso.
Aos meus caros e raros leitores se depois de lerem este post tiverem ganas de me apedrejar, façam-no, mas com estilo, atirem-me com diamantes...

TEE TIME! (estou de saída do jogo!)

_______________________
Referências principais:

http://www.gcsaa.org/cm/gen/gcsaa_generated_bin/documents/basic_module/PictureThis06.pdf

http://www.usga.org/turf/articles/management/general/when_in_doubt.html

http://www1.universia.net/EstudiosXXI/0OFE0/SU2PPESII1EE1/ST7215/OF218254/index.html

http://app.expansionyempleo.com/buscadorformacion/app/cursos/verCurso.html?curso.codigo=1209

http://www.cursosypostgrados.com/EXPERTO-EN-GESTION-DE-CAMPOS-DE-GOLF-LES-ROCHES-MARBELLA-3343.htm

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial