sábado, janeiro 27, 2007

Balde de água a aquecer

Andava eu a cirandar pela blogosfera e encontrei, no Blog Revista Atlantico, a transcrição de um artigo de opinião, muito interessante, publicado na passada quarta-feira, 24 de Janeiro, no "Público", subscrito por Rui Ramos, e intitulado "A grande estratégia".
.
O referido artigo, para mim, foi como um balde de água polar porque, até agora, pensava eu que, cá pelo País, tínhamos muito orgulho "nos nossos desenrascanços e happenings" mas, pelo contrário, já vem de muito longe o hábito de se propagandearem as "maravilhas e grandes realizações" que se irão alcançar em futuro incerto mas, pelos vistos, apenas para atestar que as ideias descritas não são para executar.
.
O autor do artigo conclui o seu raciocínio mais ou menos assim: "...Por isso, tudo aquilo que verdadeiramente se passou, desde a industrialização até à urbanização, passou-se 'desordenadamente', à revelia dos planos e mesmo fora da lei.
Até hoje, os governos andaram sempre a tentar mudar o país em meia dúzia de anos. Talvez fosse preferível tentarem compreendê-lo."
Se Rui Ramos estiver certo, e infelizmente assim parece, para mim, começaram a fazer todo o sentido os imprecisos resultados das seguintes vagas e, ambiciosamente, abrangentes declarações de intenções:
.
Como podem ver, já pus a água polar a aquecer, mas... esqueci-me de trazer lenha que chegue!
Mas, um destes dias, ainda vou buscá-la.
A eficiência e eficácia reinantes, há décadas, são muito contagiosas...

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial