segunda-feira, fevereiro 01, 2010

Passou despercebido

GAGO AVISA QUE AS ALTERAÇÕES AO ESTATUTO DA CARREIRA DOCENTE DO POLITÉCNICO
Pois é verdade, com a excitação do orçamento, passou-me mesmo despercebido...
Refiro-me a
este texto (2010-01-26 22:18:12) de Candida Ribeiro:
GAGO AVISA QUE AS ALTERAÇÕES AO ESTATUTO DA CARREIRA DOCENTE DO POLITÉCNICO "TERÃO CONSEQUÊNCIAS POLÍTICAS"
....
Preocupado com a notícia da aprovação iminente da alteração do regime transitório para os professores do Ensino Politécnico, o ministro da tutela chamou a atenção dos deputados para as implicações políticas de tal decisão. Esta tarde, Mariano Gago foi ouvido pela Comissão de Educação e Ciência e, pela primeira vez este ano, refutou críticas já muito repetidas.
.
“Depois não venham dizer que eu não avisei”. As palavras não foram estas, mas foi neste tom que o Ministro da Ciência Tecnologia e Ensino Superior recebeu a notícia da aprovação de alterações ao Estatuto da Carreira do Pessoal Docente do Ensino Superior Politécnico. Bravo Nico avisou o Ministro da decisão matutina, durante a sessão desta tarde no Senado.
“Depois os senhores deputados vêm exigir qualidade de ensino, quando estão a incentivar o fim dos concursos públicos”, lançou Mariano Gago, avisando que se as propostas de alteração passarem “terão consequências políticas
”.
....

4 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

O MCTES tem toda a razão.

Aquilo que os Sindicatos estão a fazer é tentar garantir um "tachito" para os seus sócios.

No Ensino Superior Público não há lugar para incompetentes.

Já basta a pouca vergonha do Secundário.

terça fev 02, 11:51:00 da manhã 2010  
Anonymous Anónimo disse...

Discordo do anónimo acima. Eu consegui entrar para o Politécnico de Castelo Branco em concurso para Assistente, portanto acho que não tenho de fazer mais nenhum concurso.

Eu estou a acabar o meu Doutoramento na Espanha e espero que quando terminar, fique em lugar de Quadro.

Acho por isso muito bem que o SNESUP faça algo a esse respeito, pois é para isso que eu pago as minhas quotas.

Também não concordo com o facto de andarem a dizer que as futuras avaliações de desempenho estarão dependentes da produção cientifica, porque se eu soubesse que era assim, não tinha concorrido para o Ensino Politécnico, que é assim uma especie de Ensino Secundário, mas mais fino e com menos aulas.

terça fev 02, 02:43:00 da tarde 2010  
Blogger Joaquim disse...

Caros
Para mim a questão de fundo é a disparidade de critérios entre politécnicos e universidades. Se as regras fossem as mesmas para os dois sub-sistemas, não teria existido a tremenda contestação que se verificou o ano passado.

quarta fev 03, 06:14:00 da tarde 2010  
Anonymous Anónimo disse...

Não coomprrendo porque as regras dos 2 sistemas de ensino têm que ser iguais .... não o são, assim como não tem sido o ingresso na carreira.
Na maioria das vezes quen entrou para os politécnicos foi primeiro aquecer o lugar, depoi tratou de se habilitar (e nem sempre o fez, com muitas desculpas pelo meio...), enquanto no universtário quem lá ingressa, habitualmente já vai habilitado ou quase, fora os convidados.......

sexta fev 05, 02:27:00 da tarde 2010  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial