segunda-feira, janeiro 11, 2010

Difícil? Nem por isso! Já 'tá!

Ora vamos lá agora a ver quem é que está mesmo calhado para cumprir o contrato, isto é, passar de 64.469 formandos por ano (2007-2008) para "Mais cem milhões de euros para formar cem mil trabalhadores em quatro anos"
"O reforço financeiro de 100 milhões corresponde a cerca de dez por cento no orçamento previsto para as instituições. A semana passada, o Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas pediu um reforço na ordem dos 200 milhões: cem para compensar a perda de receitas dos últimos anos e os restantes para investimento. Em vez disso, o Governo avança com metade e no próximo ano as dotações do Orçamento de Estado serão “no mínimo idênticas aos valores agora estabelecidos para 2010”, promete. José Sócrates reconhece o esforço feito pelas instituições, que nos últimos anos formaram mais alunos com menos dinheiro. “Foi um bom trabalho”, conclui".
________________
Não foi um bom trabalho das instituições não senhor, FOI UM ÓPTIMO TRABALHO DO MCTES (que, aqui só para nós, nem sequer foi muito trabalhoso)!
________________
Lembram-se da nanotecnologia? Pois..., em um ano não havia neste país quem não fosse especialista.
________________
Agora, os cursos de especialização tecnológica (CET), as formações para os maiores de 23 (M23) e o ensino à distância são os instrumentos que as instituições vão ter que desenvolver e que reconhecem estarem pouco desenvolvidas, reconhecem Mariano Gago e Seabra Santos, presidente do CRUP.
Em menos de um ano a especialização de TODAS as IES será querer duplicar (ou mais) a sua produtividade de diplomados, precisamente, E SÓ, nessas 3 grandes vertentes de formação!
Estes formandos irão custar em torno 1000 Euros por pessoa e ano; como, agora, cada aluno desses custa, em média, 2000 ou 3000, é um EXCELENTE negócio; na prática será obter um acréscimo de produtividade para 155% (em 4 anos) pagando apenas, mais 10% ao ano...
Digo isto, porque nem sei se se andam, ou não, a pagar os mestrados dos politécnicos, alguns, TENHO A CERTEZA, são na faixa..., mas isto é uma outra história e interessantíssima....
Bom, de um negociador destes, eu diria que tem a alma de um corrector de mercado de futuros!
________________
É bom lembrarmo-nos que estas formações são bastante complexas de organizar para que o Professor Medina Carreira não tenha razão - as novas oportunidades, as trafulhices e aldrabices, etc. - e, por outro lado, E MUITO IMPORTANTE recordar que se tratam SÓ DE FORMAÇÕES A TERMO CERTO porque, depois que as estatísticas estiverem bem encaminhadas,.... encurtando arengas estes acréscimos (os das novas oportunidades) são apenas conjunturais....
.
Ainda querem que lhes conte o resto do filme?
Não, pois não? Bem me parecia!
____________
Para fechar o tema, a última situação dos diplomados, já registada, reporta-se ao ano lectivo 2007/2008, e foi esta:
Universitário Público - 37.366
Politécnico Público - 27.103
Universitário Privado - 10.458
Politécnico Privado - 9.082
O MCTES deve estar a rir-se até agora... e tem muita razão!

As citadas formações adicionais, no seu conjunto, foram previstas para todas as instituições ou só para quais?
Esqueci-me de perguntar uma outra coisa: "Que fim levou o caderno de encargos reitoral?"

3 Comentários:

Anonymous uma loura disse...

Afinal uma miragem......lá ao longe......

terça jan 12, 08:09:00 da tarde 2010  
OpenID lcmoutinho disse...

Assino por baixo!

quarta jan 13, 01:53:00 da tarde 2010  
Blogger Regina Nabais disse...

lcmoutinho, obrigada pelo apoio, porém, pode acreditar que preferia que me dissessem, com razão, que eu não tenho razão nenhuma.

quarta jan 13, 04:53:00 da tarde 2010  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial