sábado, julho 11, 2009

Efeitos Secundários

Os alunos do Ensino Superior Politécnico queixam-se da "forma grave" como a greve dos docentes está a afectar as suas avaliações (aqui).
:
Efectivamente, será imprescindível pré-avaliarmos os efeitos colaterais de todas as nossas decisões e acções. Assim o tivesse feito, como deveria, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, quando do planeamento da publicação dos seus diplomas legais.
;:
Seria tembém importante lembrarmo-nos que ninguém, em seu juízo perfeito, quebra as próprias pernas para aliviar uma sua dorzita de cabeça; quero dizer que, se pensarem bem, quaisquer alunos e formandos saem beneficiados, sempre que as suas escolas e os seus professores forem respeitados nem que, para isso, tenham que usar formas menos ortodoxas de se darem ao respeito - caso desta greve dos docentes às avaliações - se a greve foi a única saída que lhes restou... E foi!
Disse que foi a única saída porque, para credibilizar o sistema politécnico, os docentes dos politécnicos não puderam sequer contar com as cadeias hierárquicas, pretensamente, representativas quando envolvidas nesta e noutras negociações anteriores.
Se as referidas hierarquias com as suas intervenções não souberam prestigiar e fazer respeitar, como seria o seu dever, o subsistema de que, hipoteticamente, são as responsáveis, pergunto: como se pode aceitar, agora, mesmo que remotamente, em letra de lei dos futuros estatutos a arbitrariedade da transferência para regulamentos a aprovar pelas instituições de ensino superior de matérias que deveriam integrar os Estatutos de Carreira e a não previsão da negociação colectiva desses regulamentos? (ver aqui)
:
Se me perguntarem se não confio nas competências institucionais hirárquicas, respondo, de forma análoga à que utilizo sempre que me perguntam se acredito em OVNIS:
Pessoalmente, não tenho qualquer fundamento, evidência ou prova que possam sustentar a minha credibilidade da sua existência!
E, efectivamente, They say their best, when they say nothing at all!
(Perguntem, sobre isto, a Mariano Gago,.....)

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial