terça-feira, outubro 20, 2009

Ao menos ela não seria um «dEles»

Georeferencio-me nas antípodas dos aficcionados por quotas do quer que seja e, menos ainda, por aquela aberração de quotas de meninas e de meninos...
Meus caros e raros leitores, tomara que não me arrependa do que, hoje, lhes vou dizer: julgo que esta ideia, veiculada pelo Jornal de Negócios, no que diz respeito ao ensino superior, seria uma hipótese interessantíssima a considerar:
[...]
Mais mulheres no Governo
[...] É o caso de Anabela Rodrigues para a Justiça, Maria Helena Nazaré para o Ensino Superior, Inês Medeiros ou Clara Ferreira Alves para a Cultura, aponta o "Diário de Notícias".
A Professora Helena Nazaré, a meu ver, teria a inegável vantagem de, sem grande alarido, levar a água, e água e mais água, toda a que fosse precisa, ao seu moinho...
E, por acaso, poria as mãos no fogo, em conforme ela sabe muito bem o que é o politécnico e como se movimenta bem na parafernália instalada de gestão de instituições públicas superiores.
Ah! Também desconfio que é das poucas pessoas que sabe fazer bem contas.

2 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

Mau palpite esse. Lá terá que gramar o Ministro Mariano Gago mais uns tempitos, não é verdade?

quinta out 22, 10:26:00 da tarde 2009  
Blogger Regina Nabais disse...

Nunca perdi nem a guerra nem a esperança.
No entanto, no caso que aqui menciona, qualquer infimo instante elementar de aturamento traduz o meu conceito de eternidade...
Julguei que não pudessem ocorrer ETERNIDADES atrás umas das outras mas, com mais esta, e vão três...

quinta out 22, 11:16:00 da tarde 2009  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial