segunda-feira, setembro 03, 2007

Fantasmas atarantados

O projecto, os sucessivos planos e os construtores do desenvolvimento do Ensino Superior, em Portugal, inspiraram-se, de certeza, nas directrizes de obra e nos conceitos arquitectónicos de Appleby House [1]. Se os meus caros e raros leitores acham que não, por favor, ajudem-me lá a rever esta minha hipótese [2]:
Por razões que não vêm ao caso, mas que se relacionam com facto de que talvez "mais valha ser rico e com saúde, do que ser pobre e doente" - passei quase um mês, imobilizada, em casa e, para me entreter, decidi verificar a situação da composição do corpo docente, e ratios de docência, do ensino superior em Portugal, das escolas integradas em Institutos Politécnicos públicos.
O objectivo seria verificar quais dos INSTITUTOS/ESCOLAS cumprem o ratio mínimo de 15% de Doutorados, que se presume será objecto do RJIES.
Toda a informação respeitante ao ensino Superior está disponível, pelo Gabinete de Planeamento, Estratégia. Avaliação e relações Internacionais - GPAERI, através da página: 'Registo biográfico de docentes do ensino superior' - 31 de Dezembro de 2006 (REBIDES 2006).
Os alunos das formações iniciais do Ensino Superior, em Portugal, em 2006, distribuíam-se desta forma:
____________________
PARTICULAR e COOPERATIVO
i) Politécnico - 29 639 alunos (9.1%), 393 cursos, 64 escolas;
ii) Universitário - 43 399 alunos (13.3%), 580 cursos, 49 escolas;
PÚBLICO
i) Militar e Policial Politécnico - 236 (0.1%) alunos, 18 cursos, 3 escolas;
ii) Militar e Policial Universitário - 1 341 (0.4%) alunos, 28 cursos, 4 escolas;
iii) Público - Politécnico - 105 571 (32.4%) alunos, 1 364 cursos, 101 escolas, destas, 42 escolas, com um total de 89 758 alunos, são escolas INTEGRADAS, em 15 Institutos Politécnicos Públicos (objecto do inventário);
iv) Universitário - 136 997 (42.0%) alunos, 1 447 cursos e 70 escolas;
UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA
i) Politécnico - 956 (0.3%) alunos, 8 cursos, com 2 escolas politécnicas;
ii) Universitário - 7 994 (2.5%) alunos, 117 cursos e com 26 escolas universitárias.
_____________________
Total Geral - 326 133 alunos e 3955 cursos de formação inicial.

Síntese dos resultados que obtive, apenas para 7 das escolas Politécnicas Públicas ( averde na imagem seguinte), que detêm mais do que 5,000 alunos:

1º Tabela de Docentes (base informativa);
Ratios comparativos para as diferentes Escolas (clique na imagem para poder ver melhor):


































3º Síntese da distribuição de Equivalentes em Tempo Integral de Docentes (clique na imagem, para poder ver melhor), para Institutos Politécnicos com mais do que 5000 alunos, para verificação da conformidade do corpo docente dessas instituições com o texto ":No conjunto dos docentes e investigadores que desenvolvam actividade docente ou de investigação, a qualquer título, na instituição, pelo menos 15% devem ser doutores em regime de tempo integral" do Regime jurídico das instituições de ensino superior - Versão final, aprovada pela AR.



























Por favor, caso pretendam, consultem ficheiros aqui (http://www.esnips.com/web/REBIDESRJIES/).

CONCLUSÕES:

Pois, .... pode constatar-se que:
- nem todas as escolas de politécnicos, com mais de 5000 alunos, reuniam em Dezembro de 2006 esse primeiro requisito;
- houve escolas que apostaram fortíssimo na formação académica dos seus docentes (ex.: Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Bragança) mas terão agora que confrontar o seu efectivo de docentes com a segunda parte do texto: para além desses 15% detentores do grau de doutor, "pelo menos 35% devem ser ser detentores do título de especialista, os quais poderão ser detentores do grau de doutor", tomara que sim que todas as escolas, nessas penosas circunstâncias, consigam esses tais "especialistas, felizmente, ainda a definir como der mais jeito"....
___________________
[1] "Years of rumors and unsubstantiated reports have created, in a quiet urban neighborhood, a house of horrors. The dwelling is one Appleby House, a modest dwelling of 36 rooms built over an 8 year period. On interviewing neighbors, who dubbed the owner "strange," one finds that 10 carpenters have been employed to build such oddities as stairways to ceilings, windows on blank walls, and doorways going nowhere. According to reports, these bizarre customizings are intended to confuse ghosts. Maybe the owner will report one day that he has caught one in a dead end hallway! Until then, however, the mystery of the building of Appleby House remains just that -- a mystery."
[2] Em relação à nossa gestão da Educação Superior, a cada passo, estamos em presença de uma alternativa sem saída - Appleby House: presos por mimar cão ou por o abater, ou então continua como sempre tudo, como dantes - é o mais certo!

Etiquetas:

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial