sábado, agosto 30, 2008

360º de Liberdade

Face ao que escrevi no meu último post intitulado UMA FÉ RACIONAL, vejo-me na obrigação de esclarecer o lado "racional" da minha "fé"...,
Disse eu que nos dizia o Jornal de Negócios que: Ciência e Tecnologia recebe mais 39,9% para funcionamento do que o orçamentado em 2008.
Na verdade, se pensássemos que o Orçamento de Funcionamento da Educação Superior, em 2008, se situava, ao nível do GPEARI, numa ordem de grandeza de 1 Bi de Euros, (1,237 Bi - isto é, aproximadamente igual a um vírgula dois mil milhões de euros- previstos, em 2007) se houvesse um acréscimo de 39,9%, teríamos então para 2009 um acréscimo previzível de cerca 400 M€; por isso, fiquei agora sem perceber exactamente o que é que aconteceu ao Ministério da Ciência Tecnologia e Ensino Superior, mas uma coisa é certa, o tal acréscimo referido não parece ser fiável, porque o Orçamento Inicial para Funcionamento, que está previsto fixar em Orçamento de Estado, para 2009, será exactamente só 1.244,5 M€ (ver Diário Económico de 27/08/2008 - cópia do extracto neste post - clique na imagem para ver melhor).
Dito de outra maneira, o orçamento do MCTES, a fixar para 2009 (1.244,5 M€), será muito próximo mas abaixo do previsto para 2008 pelo mesmo GPEARI (1.373,07 M€) . Por outras palavras, será exactamente, 90,6% do orçamento previsto pelo mesmo GPEARI para 2008. Assim, meus caríssimos e raríssimos leitores, haverá não um acréscimo mas um decréscimo. Mas, enquanto se anunciou um acréscimo e de 40%, possibilitou-se um significativo remanejamento das atribuições financeiras às diferentes instituições, entre as quais serão francamente beneficiadas as candidatas a fundações - UAVEIRO, UPORTO e ISCTE .
A única boa notícia parece então resumir-se ao facto de ter HIPOTETICAMENTE desaparecido o famigerado factor de coesão.
Entretanto, entre as Estatísticas, percentagens, erros, favorecimentos e factos, o que permanece imutável, são os 360º de Liberdade deste Ministério.

Estranho só as choradeiras e mal dizer, sem nunca haver alguém, do CRUP ou do CCISP, a pedir OFICIALMENTE que as contas minesteriais sejam conferidas.

Este Ministério lembra-me sempre a minha avó materna - perguntava magnânima e secretamente a cada um dos netos de quanta mesada precisava, e depois entregava ao mais velho um décimo do que tinha pedido o menos ambicioso de nós, e dizia-lhe para repartir, responsavelmente, esse valor por todos - éramos e, felizmente, ainda somos 5. Nunca soubemos , nesses tempos, nem os planos, nem as dotações nem as execuções financeiras uns dos outros.

4 Comentários:

Blogger LN disse...

Olá, Regina :)
Uma avõ tão vanguardista que levo a analogia pra meu «canto», sim? :)
beijos

domingo ago 31, 10:57:00 da tarde 2008  
Blogger Regina Nabais disse...

Viva LN.
Não tenho dúvidas, "criatividades úteis", mesmo que não sejam muito populares são generalizáveis.
:)
Bjs.

Regina

domingo ago 31, 11:41:00 da tarde 2008  
Blogger LN disse...

deixei um link no conversamos...

sexta set 12, 03:09:00 da tarde 2008  
Blogger Regina Nabais disse...

Obrigada LN.
beijinhos

sexta set 12, 06:34:00 da tarde 2008  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial