sábado, julho 12, 2008

poalha de tijolo vermelho

Depois que foram publicadas e comentadas as "vagas de 2008/2009, para o ensino superior", tenho acompanhado de longe e ao de leve as posturas das diferentes organizações de classe, a respeito das ameaças às suas categorias profissionais.

Ultimamente, seguindo o exemplo do país inteiro, também me deixei da parvoíce de sequer tentar ser e parecer racional, e parti para apelação ao sobrenatural; é que meus caros e raros leitores, os maus olhados existem, eu já vi!. Por outro lado, a conselho de pessoas moderadas, decidi ser cooperante com todos.
Hoje, por exemplo, venho oferecer os meus préstimos ao Senhor Bastonário da Ordem dos Senhores Engenheiros, Senhor Engenheiro Santo (só de nome, e também quando espirra, aí é santinho) que, coitadinho, estremece e estrebucha por cada vaga que se abre em escolas de engenheiros não padronizados pela sua Ordem - ninguém sabe quais são os padrões da Ordem de Engenheiros, mas também não carece, afinal esta Ordem deixou definitivamente de representar a Classe Profissional dos Engenheiros para ser um anúncio publicitário de algumas Escolas de aprendizes do ofício.
Bom, dizia eu, quero ser cooperante, e aqui estou com as minhas sugestões à laia de contributos:

1. Invoque e ofereça ao Espírito da sua Ordem dos Engenheiros um pote de frutas secas e peça-lhe para proteger a sua Ordem de quaisquer assaltos, violências, vandalismos, furtos, depredação mas, sobretudo, dos facilitismos daqueles Engenheiros não previamente esconjurados.

2. Na frente da sede da Ordem coloque um desenho em AUTOCAD profissional, ou um medalhão, em liga leve ou em cerâmica micro-estruturada, com o símbolo da serpente (pode ser pequenina - são mais venenosas) e peça à constelação do dragão que afaste os facilitismos da sua morada, ofereça-lhe os seus respeitos, acenda um pau de incenso e rodeie - 360º bem medidos - as instalações da Ordem de uma faixa de 30 cm de poalha de tijolos (mas tem que ser vermelhos)... não não é por ser o Benfica!

3. Nas noites de lua cheia de todas as sextas feiras 13, reúna TODA a sua congregação, vão para fora das instalações da Ordem e recitem, não precisam gritar (a vizinhança e os transeuntes não têm que ficar apavorados):
Pelo poder do oculto, pelo poder dos bruxos, feiticeiros e adivinhos, pelo poder dos guardiões de luz, pelo poder dos sete arcanjos e dos sete mestres divinos (mestres não, desculpe, Senhores doutores Engenheiros!) eu lanço um feitiço de poder, um escudo de protecção, que afaste todo o mal da minha Ordem e da minha profissão, principalmente, aqueles horrorosos engenheiros de Politécnicos!

Sabe Senhor Engenheiro, é que quando estamos protegidos, a nossa tendência é esquecermos de agradecer, então escreva num bilhetinho - com tinta da china sépia, ou em sangue resultado da picada de um besouro dourado - que precisa pendurar, do lado de fora no batente da porta principal da Ordem, devidamente TRANCADA - a seguinte frase: AGRADEÇO AOS GUARDIÕES DESTA MORADA.

PS - Deixo-lhe o pozinho vermelho, não sei se os seus civis lhe conseguem encontrar facilmente isso, e eu estou com as mãos na massa.

______________
Ora Senhor Engenheiro não me agradeça!
Não por isso, Senhor Engenheiro.
Estou sempre às ordens das Ordens! E o país também!

1 Comentários:

Blogger Ruby disse...

Olá. Não pude deixar de reparar naquilo que escreveste sobre a poalha de tijolo vermelho. Tem mesmo efeito de protecção? Gostava de me proteger contra pessoas que me querem fazer mal e são vizinhos que invadem o meu terreno. Se eu acreditar e colocar a poalha como barreira isso vai impedi-los de trespassar? Obrigada e, já agora, gostava que respondesses. ^_^

sábado jan 22, 03:33:00 da manhã 2011  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial